O que é Spread ?

O spread no mercado financeiro é uma medida que representa a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um determinado ativo financeiro, como ações, títulos, moedas, entre outros. Essa diferença de preço é uma das principais formas de remuneração das instituições financeiras, como bancos e corretoras, e também reflete o nível de liquidez e risco do ativo.


Para quê serve o Spread ?

O Spread é uma medida importante para os investidores, pois influencia diretamente o custo de negociação de um ativo. Quanto maior o spread, maior será o custo para comprar ou vender o ativo, o que pode afetar a rentabilidade da operação.


Por exemplo: Se o spread de uma ação for muito alto, o investidor precisará que o preço do ativo suba significativamente para compensar o custo da transação. Além disso, o spread também pode ser utilizado como indicador da liquidez de um ativo. Ativos com spreads estreitos geralmente possuem um grande número de compradores e vendedores no mercado, o que significa que é mais fácil comprar ou vender esses ativos. 


 Tipos de Spread

Spread de taxa de juros: É a diferença entre as taxas de juros de dois ativos financeiros, como por exemplo, a diferença entre a taxa de juros de um empréstimo e a taxa de juros de um investimento. Quanto maior for o spread de taxa de juros, maior será a remuneração para a instituição financeira.
Spread de crédito: É a diferença entre o custo de captação de recursos pela instituição financeira e o custo de empréstimo ao cliente. Esse spread reflete o risco de crédito do cliente e a capacidade de pagamento. Quanto maior for o risco de crédito do cliente, maior será o spread cobrado pela instituição financeira.


Spread cambial: É a diferença entre as taxas de câmbio de duas moedas. No mercado de câmbio, o spread é uma das principais formas de remuneração das casas de câmbio e corretoras. Quanto maior for o spread cambial, maior será o custo de compra e venda das moedas.

Spread em operações de compra e venda de ações: É a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de uma ação. No mercado de ações, as corretoras cobram um spread para intermediar as operações de compra e venda. Esse spread pode variar de acordo com a liquidez da ação e a demanda dos investidores.

Como calcular o Spread


O spread é calculado subtraindo-se o preço de venda (Ask) do preço de compra (Bid). Por exemplo, se uma ação tem um preço de compra de R$10,00 e um preço de venda de R$10,05, o spread seria de R$0,05. Isso significa que, para comprar a ação, você precisaria pagar R$10,05, mas se quisesse vendê-la imediatamente, só receberia R$10,00.

A diferença de R$0,05 é o spread. O spread no mercado financeiro é geralmente expresso em termos percentuais. No exemplo acima, o spread seria de 0,5% (0,05 dividido por 10,00). Quanto maior o spread, mais custoso é negociar o ativo, pois é necessário pagar uma quantia maior para comprá-lo e receber uma quantia menor ao vendê-lo.


Exemplos práticos podem ajudar a compreender melhor o conceito de spread. 

Por exemplo, imagine que você queira comprar uma ação de uma determinada empresa. Você observa o preço de compra e venda no mercado e percebe que o spread é grande, digamos, de 2%. Isso significa que você terá que pagar 2% a mais do que o valor de mercado para adquirir a ação. Se o spread fosse menor, por exemplo, de 0,5%, você pagaria uma quantia menor para comprar a mesma ação.